Dr. Alexandre Kusabara

Minha História

O Dr. Alexandre Kusabara é um médico ortopedista, especialista em medicina esportiva e cirurgia do joelho. Atualmente é um dos preceptores da residência médica de Ortopedia e Assistente da sub-especialidade de Ortopedia Esportiva da Faculdade de Medicina do ABC, e também, é o coordenador da equipe ortopédica do Hospital Brasil.

Formado há 26 anos, possui graduação em medicina pelo Centro Universitário Lusíada (1992), fez residência médica em Ortopedia e Traumatologia, Especialização em Cirurgia do Joelho e Artroscopia (1997) pela Santa Casa de São Paulo, e Medicina Esportiva pelo CEMAFE EPM. (1996).

Dr. Kusabara é possuidor de uma metodologia de tratamento exclusiva, desenvolvida e aprimorada durante anos de experiência em tratamentos cirúrgicos e não cirúrgicos para lesões no joelho, e por este motivo, constantemente é convidado para palestras em congressos, seminários e simpósios em todo o país.

Com o objetivo de oferecer um atendimento ímpar aos seus pacientes, o Dr. Kusabara possui consultório na cidade de Santo André – SP, com localização privilegiada para facilitar o acesso de seus pacientes

Depoimentos

“Excelente profissional, um ser humano incrível, atencioso…”

Cristina Zanardi Horio

“Excelente profissional. !! Dedicado, atencioso e excelente cirurgião.”

Rogerio Guidoni

“Médico competente,estudioso e muito habilidoso.”

Regina Bernadete Guinez

“Sempre! !! O melhor dos melhores !!!
Anjo em forma de médico. . Só tenho a agradecer por estar andando ou melhor estar viva !!! Parabéns pelo seu excelente trabalho”

Desinha

“Dr. Alexandre é um excelente médico, um ser humano maravilhoso, nossa primeira cirurgia foi em 2006 e sempre me consulto com ele, a confiança no profissional é tudo que o paciente precisa antes e depois da cirurgia..”

Wagner Santos

“Excelente profissional, jogo futebol até hoje graças a excelência desse médico, meus dois joelhos foram operados por ele a quase dez anos atrás, ligamento cruzado anterior e menisco, estou 100%, recomendo de olhos fechados.”

Luciano Di Giuseppe