Pular para o conteúdo

Periostite (canelite): o que é, causas e tratamentos

A periostite ou canelite, é uma condição que afeta o periósteo, uma camada que reveste a estrutura óssea. A periostite ocorre com mais frequência na tíbia (periostite tibial) e principalmente em corredores, devido ao impacto e esforço repetitivo. Neste artigo, iremos abordar com detalhes as causas, sintomas e tratamentos desta condição, continue a leitura!

O que é periostite?

A periostite ou canelite, como é mais conhecida popularmente, é um processo inflamatório do periósteo, uma camada de tecido conjuntivo, como se fosse uma malha, que envolve os ossos inteiros.
Este processo pode ser agudo ou crônico, e costuma apresentar dor localizada, inchaço, levando a claudicação (mancar) e dificultando as atividades físicas.

Possíveis causas da periostite

Como já dissemos inicialmente, a síndrome tibial é uma condição muito comum em corredores, indiferentemente, do seu nível de treinamento. As causas mais comuns de periostite são:

  • Calçado inadequado;
  • Correr de forma inadequada ou sem técnica;
  • Início abrupto de exercícios, sem o devido preparo físico;
  • Traumas;
  • Desvios no tornozelo;
  • Atividade física excessiva;
  • Movimentos repetitivos;
  • Má postura;
  • Desbalanço de forças musculares;
  • Problemas de saúde subjacentes (ex: tendinite no tendão de aquiles)

Veja também

Sintomas da periostite

  • Sensibilidade óssea, dificuldade em suportar peso no membro afetado;
  • Dor na parte frontal da tíbia;
  • Rigidez, especialmente ao sair da cama pela manhã;
  • Febre e calafrios;
  • Inchaço do tecido ao redor do osso;
  • Formação de pus.

Quem pode ter periostite?

Pessoas sedentárias que de uma hora pra outra resolvem iniciar caminhadas ou ainda corridas, sem orientação e sem calçado apropriado, tem boa chance de desenvolver a forma aguda.
Atletas profissionais ou de alta performance podem desenvolver a forma aguda, e posteriormente a crônica, devido ao impacto de repetição e principalmente pelo desbalanço das forças musculares.

Todo músculo tem uma função, por exemplo, tríceps sural( panturrilha) faz fletir o tornozelo (abaixar a ponta do pé) e há um outro músculo que faz estender ( elevar ponta do pé) que é o tibial anterior. Efeito agonista / antagonista.
Quando as forças destes músculos estão desbalanceados, ou seja , um muito mais forte que o outro, a sobrecarga na tíbia acontece, podendo causar a periostite.

Como a periostite é diagnosticada?

O primeiro diagnóstico é clínico, através do histórico clínico, queixa e localização da dor.
Alguns exames poderão ser solicitados, como:

  • Raio X, que em se tratando de periostite estará normal, mas serve para diferenciar de patologias como fratura por estresse e infecção óssea.
  • Tomografia computadorizada assim como o Rx mostra melhor as alterações ósseas.
  • Ressonância magnética, seria o exame de escolha, pois pode fornecer uma visão detalhada do osso e dos tecidos moles circundantes.
  • Cintilografia óssea nos casos inicias pode ser útil, pois diagnostica alterações inflamatórias locais precocemente.
  • Exames de sangue para descartar foco de infecção.

Como é realizado o tratamento?

A primeira ação a ser tomada no início do tratamento é a pausa total da prática de atividades que estão causando a dor, podendo ser físicas, profissionais ou diárias.

  • Repouso
  • Aplicação de gelo
  • Analgésicos e anti-inflamatórios
  • Fisioterapia
  • Em alguns casos, até muletas.

Como você pode prevenir a periostite?

Com certeza, a prevenção é o melhor caminho. Antes de iniciar qualquer atividade física, é de extrema importância consultar um educador físico experiente para lhe prescreva um treinamento adequado, de acordo com seu nível de treinamento. Ele também irá lhe orientar sobre os os materiais esportivos mais adequados para o seu nível técnico e modalidade escolhida.

Como reduzir o risco de inflamação?

Algumas ações simples, poderão lhe ajudar na prevenção da periostite.

  • Aumente a distância (volume de km) de forma gradual e sistemática.
  • Aqueça antes de cada treino.
  • Aprimore sua técnica de corrida.
  • Combine corridas em asfaltos com gramados para reduzir o impacto.
  • Utilize tênis adequados de acordo com o terreno que irá correr.
  • Fique de olho nos sintomas.

Se você é uma pessoa ativa e gosta de superar os seus limites, preste muita atenção nos sinais de dor, principalmente nos ossos e articulações localizadas, procure um médico.

Mantenha hábitos saudáveis!

Fontes:

https://www.physioatlas.com/en/periostitis/ Acessado em 10/05/2024
https://health.uconn.edu/orthopedics-sports-medicine/conditions-and-treatments/where-does-it-hurt/lower-leg/periostitis/#:~:text=Periostitis%20is%20a%20condition%20that,connective%20tissue%20that%20surrounds%20bone.Acessado em 10/05/2024

Marcações:
Precisa de ajuda?